Presidente do PR PR nos estados Manchetes Download Hino Nacional do Brasil
História do PR Fale com o PR Notícias Republicanas Manual de Aplicação da Marca PR
Prefeituras do PR Ficha de Filiação ao PR Fotos dos Deputados do PR Assessoria Jurídica
Vereadores do PR Fórum Republicano Fotos dos Senadores do PR Vinheta do PR
Estatuto do Partido da República Manifesto do Partido da República Código de Ética do Partido da República Programa do Partido da República

 

 
  06/09/2010
 
   
O jornal Folha de São Paulo trouxe nesta segunda-feira, dia 6 de setembro, no caderno de opinião, página A3, o artigo que coloca um ponto final na polêmica em torno da candidatura de Tiririca, que disputa o cargo de deputado federal pelo estado de São Paulo.

Assinado pelo presidente do Conselho de Ética do Partido da República, professor Sérgio Tamer, o artigo faz críticas aos "falsos democratas" e às chamadas "viúvas do totalitarismo".

Tamer afirma que a candidatura de Tiririca é um símbolo do "pluralismo, praticado pelo Partido da República" ao argumentar que Tiririca tem todo o direito de se apresentar para o eleitorado da forma que é conhecido.O republicano argumenta que a liberdade de Tiririca é compatível com a caracterização que marca atividade profissional dos cantores e médicos quando aparecem na propaganda política da televisão.
Sérgio Tamer, que no artigo identifica o artista Tiririca pelo seu nome de batismo, faz questão de salientar que o PR não é o partido das "restrições prévias". Ele antecipa que a legenda não irá amordaçar ou censurar as formas de expressão e conteúdo de seus candidatos.
.

Leia abaixo a íntegra do artigo.



Folha de S. Paulo

Pag. A3

Segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Opinião

TENDÊNCIAS/DEBATES - Tiririca da Silva

SÉRGIO TAMER


O partido que propõe "uma sociedade livre, pluralista e participativa", conforme consta do programa do PR (Partido da República) em seu primeiro parágrafo, não pode se apresentar como a legenda das restrições prévias para o reconhecimento da legitimidade de uma candidatura à representação popular.

A rigor, nos parece contraditório que alguém se apresente como democrata enquanto questiona a legitimidade da candidatura de qualquer cidadão em dia com suas obrigações e no gozo dos seus direitos civis. Alheias aos costumes de regime democrático, algumas opiniões sobre o conteúdo da propaganda política de televisão confessam saudades da chamada Lei Falcão.

Aparentemente insatisfeitos, os falsos democratas esperavam que os republicanos amordaçassem candidatos ou censurassem suas formas de expressão e conteúdos. Felizmente, este não é e não será o papel de um partido como o PR.

O Partido da República não partilhará do pensamento ressentido que orienta as viúvas do totalitarismo de direita ou de esquerda.

Não há constrangimentos ou subterfúgios para falar do pluralismo que praticamos em nossas listas de candidatos por todo o país. Defendemos, sem exceção, a legitimidade de todas as candidaturas do nosso partido.

A candidatura do artista Francisco Everaldo Oliveira da Silva, o Tiririca, é um símbolo do pluralismo praticado pelo Partido da República. Repentinamente, sem que houvesse qualquer pirotecnia ou preparação prévia, Tiririca e a espontaneidade de sua mensagem conquistaram as atenções na democrática internet brasileira.

O impacto da repercussão da candidatura de Tiririca, com seu poder de comunicação com o povo, surpreendeu conservadores e provocou reacionários adormecidos.

Aceitamos todos os questionamentos e, por vocação democrática, respeitamos inclusive as manifestações injuriosas. Sobretudo depois que o STF (Supremo Tribunal Federal) reafirmou o compromisso da Constituição brasileira com a ampla liberdade de expressão.

O candidato Francisco Everaldo Oliveira Tiririca da Silva representa um relevante segmento entre os brasileiros. Ele tem todo o direito de se apresentar para o eleitorado da forma que o eleitorado o conhece.

Caso contrário, os candidatos cantores não poderiam cantar, os que usam chapéu teriam de mostrar os cabelos e os médicos estariam proibidos de aparecer na televisão em roupas brancas.

Tiririca é livre para escolher a forma e o conteúdo que lhe parecer conveniente quando se apresenta para pedir o voto nas ruas ou no horário de propaganda política da TV.

Cabe ressaltar, entretanto, que o republicano Francisco Everaldo Oliveira Tiririca da Silva, no exercício do mandato de deputado federal, assumirá dever de obediência ao programa e ao estatuto do Partido da República, além de estar subordinado às restrições impostas pelo Código de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados.

Os artistas Francisco Everaldo Oliveira Tiririca da Silva, Agnaldo Timóteo e Juca Chaves não foram os únicos agraciados com um convite para ingresso no PR.

Da mesma forma que, em todo o país, convidamos para filiação no PR personalidades de outros segmentos da vida brasileira. Sempre orientados pelo propósito de ampliar a

representação social na vida política e partidária deste país.


--------------------------------------------------------------------------------

SÉRGIO TAMER, mestre em direito público pela UFPE, doutorando pela Universidade de Salamanca, professor universitário, é procurador federal e presidente do Conselho de Ética do Partido da República.



Fonte: Agência Câmara
Folha de São Paulo
   




LEAD         TVNEWSWEB

Site Desenvolvido pela LEAD - Produções Artísticas Comunicação & Marketing

SCN Qd. 2 Bl. D Torre A Sala 225 Brasília - DF - CEP: 70712-904

http://www.leadbrasilia.com.br/

http://www.tvnewsweb.com.br/

© - 2007 www.partidodarepublica.org.br - Todos os direitos reservados

SHS quadra 6 Bloco A sala 903 - Brasil 21 . CEP: 70.316-102 - Asa Sul . Brasília-DF



Tel.: - (61) 32029922



Mais uma realização do Instituto Alvaro Valle Tel.: - (61) 32029922