Presidente do PR PR nos estados Manchetes Download Hino Nacional do Brasil
História do PR Fale com o PR Notícias Republicanas Manual de Aplicação da Marca PR
Prefeituras do PR Ficha de Filiação ao PR Fotos dos Deputados do PR Assessoria Jurídica
Vereadores do PR Fórum Republicano Fotos dos Senadores do PR Vinheta do PR
Estatuto do Partido da República Manifesto do Partido da República Código de Ética do Partido da República Programa do Partido da República
 

Notícias do Correio 22 - Partido da República


Clique no ícone do Media Player para assistir ou fazer download do vídeo em wmv
 

Clique no ícone acima para conhecer a Biblioteca de Vídeos do PR no You Tube
 

Clique no ícone acima para fazer download do vídeo em MP4 e enviar pelo whatsapp
 

Clique no ícone acima para assistir ou fazer download do vídeo em Quick Time (plataformas da apple)
 
20/06/2018 — Para assistir o vídeo do lado esquerdo da tela, você precisa instalar o Flash player
 
 
Deputado federal Adelson Barreto (PR-SE)
Deputado federal Adelson Barreto (PR-SE)
Brasília - O deputado federal Adelson Barreto (PR-SE) usou a tribuna do Plenário, na última semana, a fim de chamar a atenção para a vulnerabilidade da saúde feminina no país. O republicano cobrou do Governo Federal políticas públicas voltadas para a redução da morte materna. Na ocasião, cobrou a implementação de serviços de qualidade e eficiência no Sistema Único de Saúde (SUS), como a atenção ao pré-natal, ao parto e ao puerpério.

Para o republicano, a morte materna vitima silenciosamente milhares de mulheres no país. “Em 2016, 1.829 mulheres morreram no Brasil por causas relacionadas à gravidez, parto ou puerpério (período pós-parto que se pode estender até 45 dias). Isso equivale a cinco mortes diárias”, destaca, estimando que, no mundo, 830 mulheres morreram por dia por essas causas, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Segundo o parlamentar, esse tipo de óbito preocupa tanto as autoridades de saúde, que já existe uma classificação internacional específica, chamada morte materna.

“Os dados dos indicadores de desenvolvimento global do Banco Mundial, mostram que para cada cem mil nascidos, sessenta e nove mulheres morreram no parto ou no puerpério no Brasil”, disse, destacando que em países desenvolvidos a taxa é de dez mortes por cem mil bebês vivos. “No Japão são apenas seis mortes”.

Para Adelson Barreto, o tema é complexo. “A mortalidade materna é resultado de fatores biológicos, econômicos, sociais e culturais que não se referem a óbitos por causas acidentais, mas, sim, por causas que poderiam ser evitáveis ou tratáveis”, pondera, ressaltando que a mortalidade materna indica violação do direito mais fundamental do ser humano: o direito à vida.
Para o deputado, nada justifica em pleno século XXI a morte por gestação ou parto, que é um fenômeno fisiológico, cujas causas de risco de vida são amplamente conhecidas pela ciência e podem ser prevenidas e/ou tratadas. “Muitas vezes as causas de morte materna são agravadas pela hipertensão, diabetes e ocorrências de hemorragias”, completou, lamentando que o Brasil seja um dos países mais lentos na busca da redução dessas mortes.


*Com informações da assessoria de imprensa do deputado Adelson Barreto
Topo


© - 2007 www.partidodarepublica.org.br - Todos os direitos reservados

SEDE NACIONAL DO PARTIDO DA REPÚBLICA

ENDEREÇO:

SHS quadra 6 Bloco A sala 903 - Brasil XXI . CEP: 70.316-102 - Asa Sul . Brasília-DF




Tel.: - (61) 32029922



Mais uma realização do Instituto Alvaro Valle Tel.: - (61) 32029922


LEAD         TVNEWSWEB

Site Desenvolvido pela LEAD - Produções Artísticas Comunicação & Marketing

SHIN CA 09 LT 16 SALA 115 - ED. GREEN HILLS - LAGO NORTE CEP: 71503-509

http://www.leadbrasilia.com.br/

http://www.tvnewsweb.com.br/